*-*

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

YONANAS - Meu brinquedinho novo

Eita calor, minha gente! Zanzando pela internet, achei a solução dos meus problemas. Uma máquina milagrosa que faz sorvete que refresca, que não engorda e ainda nos estimula a comer mais frutas. Esse post não é patrocinado, tá? É dica boa e, dica boa a gente compartilha com as amigas! =)

Paguei um pouquinho mais que duzentos reais no brinquedo novo. 

A máquina se chama Yonanas e eu comprei no site da Shoptime. Olha a belezinha aqui:


O único ingrediente necessário pra fazer um super sorvete é fruta congelada. Só isso. Não precisa de pozinho especial, acidulante, açúcar, leite... nada! Só precisa de fruta congelada! A mágica toda acontece nessa parte preta da frente. Basta colocar a fruta nesse cano preto e na mesma hora sai o sorvete pronto pela boquinha. É incrível a consistência!  

Ai que delícia! Agora existe coisa boa que não engorda!!! =D



Aqui são as minhas frutinhas congeladas. Eu comprei tudo no hortifruti e enchi meu freezer. A goiaba foi uma furada, na minha opinião. Eu gosto de sorvete de goiaba, mas, ou eu não soube fazer, ou é ruim mesmo... O mamão ficou ótimo, banana perfeito, morango, manga, abacaxi também é top! Já deu tempo de fazer experiência e misturar sabores. Como o morango é meio azedinho, misturei com banana e ficou divino. Gosto de misturar tudo com banana! 

Escolhi fotografar o de manga pra vocês admirarem daí. =) Tomei muito sorvete esse final de semana e dessa vez ninguém vai brigar comigo! 

Olha a consistência! ^^ Quem não tiver problemas com a balança, pode fazer umas invenções mais ousadas com leite condensado e afins. Eu fui de granola pra garantir um croc gostoso.

E aqui foi o experimento do marido: Sorvete de Todinho congelado. Deu certo também! 

Junto com a máquina vem um livrinho de receitas pra iluminar a nossa ideia. Mas é meio afrescalhado... rsrs

Melhor aquisição desse verão apressadinho.


Marido também experimentou fazer sorvete de milho, mas foi ideia de girico!  



domingo, 19 de outubro de 2014

PRESTANDO CONTAS COM O PLANETA



Eu sempre tive consciência verde. Sempre me preocupei com o futuro do planeta dos meus filhos. Mas nunca estive tão preocupada como estou hoje. Gente, a água tá acabando mesmo! O negócio tá feio pro nosso lado, então, hoje resolvi prestar contas com o planeta, mostrando a minha forma de economizar água. 

A funcionária responsável pela limpeza lá da nossa empresa, lavava a varanda e as escadas uma vez por semana. Já conversei com ela pra usar mais a vassoura e o pano de chão pra manter tudo limpinho. Lavar, no máximo, uma vez por mês e economizando água! Nada de usar a mangueira como "vassoura". Acho que já deu muito certo, pois a conta da minha escola tem vindo muito mais baixa - menos da metade do normal. Parece que estou exagerando, mas é um valor irrisório mesmo, levando em conta a quantidade de alunos e funcionários usando os banheiros, bebendo água e com toda a limpeza sempre em dia!

Aqui em casa também tomei medidas drásticas para economizar. Quero abrir um parêntese para dizer que moro em apartamento e não pago água, pois já está inclusa na taxa de condomínio. Acho isso super errado pois vejo tanta gente que, mesmo pagando sua água individualmente, gasta sem consciência, imagine se não pagar? Sou a favor de taxa de condomínio apenas para a manutenção do condomínio. Gastos pessoais, são gastos pessoais. Enfim. Mesmo sendo assim, a minha preocupação é com a água do planeta e não só com o meu bolso. Aqui em casa os banhos foram reduzidos em número e em tempo debaixo do chuveiro. Na hora de lavar o cabelão, fecho a torneira. Marido gosta de fazer a barba no banho, e também tem fechado a torneira quando não precisa do chuveiro. A mesma coisa vale na hora de escovar os dentes.

Nada de ficar dando descargas longas. Descarga é só pra mandar o trem embora. Tem gente que penteia cabelo, joga os fios que caem no vaso sanitário e dá descarga. Usa fio dental, joga no vaso e aí? Descarga!!! Vaso sanitário não é lixeira!!!  

Outra medida de economia é com as nossas roupas. Tenho ligado a máquina de lavar só aos domingos, juntando muita roupa pra lavar numa vez só. E por aqui acabou esse negócio de usar a roupa só uma vez e colocá-la pra lavar. A roupa só vai pro cesto se estiver suja! Colocar a roupa pra arejar ao invés de lavar não vai deixar ninguém fedendo. Garanto! =)

Sabia que dá pra economizar até na louça? Porque não beber o suco no mesmo copo que o marido? Menos louça pra lavar e menos água pra gastar. É importante lavar a louça seguindo uma ordem: lavar as peças menos sujas primeiro. Isso evita ter que ficar lavando a esponja toda hora. Eu ensaboo tudo e lavo a pia. Depois vou enxaguando tudo junto e bem rapidinho.  

De maneira mais ampla, economizar energia também é economizar água. Não deixar a geladeira aberta atoa, economiza. Usar o ferro pra passar o maior número de roupas ao invés de ligá-lo todo dia, economiza. Soltar os cachos e deixar secador e chapinha de lado, economiza. Trocar as lâmpadas por lâmpadas fluorecentes, economiza. Reunir todos os membros da família no mesmo cômodo que estiver com a luz acesa, além de economizar é bem mais prazeroso. Tomar banhos geladinhos nesse calorão, deixa a pele linda e economiza (e às vezes, mesmo com o chuveiro desligado, a água continua quente por aqui, e nem tem aquecedor solar).

Eu não tenho quintal, então o gasto de água pra manter o apartamento limpo é mínimo. Já o carro é um problema... Além de ser novo (que é um motivo pra gente querer andar com ele sempre limpinho), ele é preto! Mas tem solução. Lavar o carro usando balde só quando for necessário. Isso ajuda a economizar muito!

Pelo amor de Deus, conserte os vazamentos que surgirem na sua casa o mais rápido possível. E se você vir vazamentos na rua, ligue para a companhia de abastecimento da sua cidade na hora. 

Só não dá pra diminuir o consumo da água que bebo pois já tive crise nos rins! =)

Se cada um fizer a sua parte, o mundo pode melhorar. Vamos economizar???

Conta pra gente quais são as medidas que você tem tomado pra economizar água na sua casa! 


Marido está com crise renal hoje! Economizou mais água do que deveria! =(

sábado, 18 de outubro de 2014

NINGUÉM MERECE CARA EMBURRADA

Ontem recebemos um convite para jantar com um casal de amigos que são namorados. Estava tudo combinado até a namorada dele resolver que queria comer no japa. Ele, sabendo que eu e marido não gostamos desse tipo de comida, quis dissuadi-la dessa ideia, mas ela queria isso e ponto final. Ele cancelou o jantar com a gente e disse que ficaria pra outro dia "porque sair com mulher emburrada ninguém merece". Pra mim isso foi tranquilo pois eu estava mesmo querendo ficar em casa. O treino de sexta na academia é mega puxado e eu ainda estou toda quebrada pedindo arrego. 

Mas o que quero focar nesse post não tem nada a ver com o casal. Só quero usar a frase dele pra refletir com vocês sobre o nosso mau comportamento.




Por mais que eu e o marido tenhamos uma boa convivência, às vezes um ou o outro dá tilti no sistema e as ideias não batem. Eu já quis ir jantar num restaurante bacana enquanto o marido queria comer um hot dog na pracinha. Já quis dizer não pro cinema quando estava em cartaz o filme mais aguardado pelo marido. Já quis ficar em casa quando o marido queria sair junto com os nossos amigos. E, confesso, já fiz o que ele queria fazer de cara emburrada. Mas tem um detalhe: Minha cara fica emburrada só dentro do carro (quannnnndo fico emburrada, pois eu sou super light e contra cara de bunda fechada). Quando encontramos nossos amigos, nesses casos, a minha cara muda na hora. Muda porque ninguém precisa saber o que se passa nos bastidores. E isso não é viver de aparências... Isso é proteger o casamento das interferências e das fofocas. Ninguém tem nada com isso. E nós - os únicos envolvidos - podemos até não estar com tudo 100% naquela hora, mas antes do sol se por tudo estará em perfeita harmonia porque temos esse compromisso um com o outro.

Eu e o marido NUNCA dormimos no 99%. Todos os dias rola um beijo apaixonado de duas pessoas que se amam e se respeitam. Duas pessoas que lutam pra viver o que pregam, independente de plateias. 

Algumas pessoas acham que precisam ser "sinceras" consigo mesmas e se dão o direito de transparecer o que estão sentindo na frente de quem for... não se importam em dar show e lavar roupa suja fora de casa. Senta um em cada ponta da mesa e não dirigem nem uma palavra ao outro. Fala sério... quem perde com isso? Estragar a noite dos outros e a própria noite vai levar essa pessoa pra onde? Lugar nenhum. Aí, duas horas depois do jantar os dois se acertam, mas o clima que vai ficar para o casal de amigos é que estão em crise conjugal.

Por isso que nesses casos eu prefiro agir normalmente, como se tudo estivesse bem, pois isso cria até um efeito positivo estimulando as coisas a ficarem bem de verdade. Geralmente, esquecemos até o que nos fez ficar emburrados. Temos que lembrar que existe amor pelo outro. Lembrar que vale a pena dar o braço a torcer quando o resultado disso será sorrisos, beijinhos e amassos abraços. Mas o que é mais fácil? Dar ouvido pro nosso bendito ego, claro. E aí? Vai ficar sem falar com o parceiro, que ontem era o amor da vida, até as coisas desandarem de vez e ficar cada vez mais difícil a reconciliação?

Já percebeu que quanto mais se protela uma reconciliação, mais difícil fica de se reconciliar? O ego vai inflando, deixando o coração rígido e se torna impenetrável... e coração impenetrável fica solitário e triste. Tô cansada de ver casais que parecem dois estranhos dentro de quatro paredes. Nem se esbarram! Não têm o mínimo de intimidade. Até fazem sexo, mas apenas pra cumprir protocolo, talvez. Nada flui naturalmente. Pisam em ovos. Não se reconhecem mais. 

Gente, quando a Bíblia fala que o sol não deve se por sobre a ira, isso é muito sério. Significa que não podemos ir dormir com raiva um do outro. Temos que ficar espertos quanto a isso. O ego fica nos tentando a não dar o braço a torcer e a coisa vai virando uma bola de neve, desembocando num divórcio ou numa infelicidade eterna - "porque casamento tem que ser eterno, né? Então a gente vai empurrando com a barriga..."

Quando o barco fura, tem que ser consertado na hora pois pequenas avarias na embarcação são fáceis de resolver. Mas quando a gente deixa a água invadir sem fazer nada, o barco afunda. Isso é mais simples do que parece. Acredite!

Viver bem no casamento não tem preço! 


Marido comprou uma máquina tão tão tão legal! Tô doida pra fazer  um post contando tudo sobre a novidade!!!


quinta-feira, 16 de outubro de 2014

NA SAÚDE OU NA DOENÇA - Segunda parte da série “Votos do Altar”

Na semana passada eu trouxe pra vocês a primeira parte da série "Votos do Altar" e foi o maior sucesso. Clique aqui pra ler! Hoje vou postar a segunda parte que está recheada com uma história linda de amor verdadeiro. Acho que vocês vão gostar tanto quanto eu gostei! 

(Como recebi reclamações da cor do texto anterior, que ficou meio esquisito pra ler - cinza - vou deixar o de hoje pretinho mesmo. Mas não esqueçam que o texto é do Pr. Áquila Cabral e não meu, tá?)



* * *

"Hoje quero compartilhar algo muito importante. O que vou escrever nessas linhas é fruto do que aprendi observando o casamento de duas pessoas formidáveis: Meus pais. O exemplo deles é muito importante em toda formação do meu próprio casamento. 

Minha mãe conta que, quando menina, sempre sonhava com um príncipe num cavalo branco indo buscá-la em São Fidelis, interior do Rio. O príncipe chegou. Não tão alto. Mais ou menos 1,67m. Não chegou num cavalo branco, mas de muletas. Sim, as muletas eram sua companhia desde os cinco anos de idade, quando foi vítima de paralisia infantil. Não tinha dinheiro guardado, nem casa, nem carro. Só amor e disposição para trabalhar. E como trabalhou. Casaram-se em 21 de setembro de 1974. A mudança coube num saco de mercado. Foram para a cidade do Rio de Janeiro tentar a vida. Quanta saúde e vitalidade tinha meu pai. Apesar da limitação física, andava muito. Com uma perna e “quase meia” apoiadas pelos arrimos de madeira feitos por ele mesmo, no auge de sua saúde fez coisas que muitos homens não fazem com duas pernas perfeitas. Que exemplo! 

Lembro-me de ter visto meu pai consertando algo na caixa d'água da casa onde morávamos. Não me pergunte como ele subiu. Ele estava lá resignado a fazer o conserto. Um dia teve uma queda no banheiro e quebrou a perna em várias partes. A perna mais afetada pela paralisia ganhou tantos parafusos e platinas que imagino ter dobrado de peso. Foi um tempo difícil. Ficou hospitalizado, depois acamado em casa por vários meses. 

Minha mãe, mulher linda e ajudadora sem igual, economizava sabiamente o quanto podia. Teve de começar a trabalhar pesado para complementar os proventos familiares. Meu pai melhorou, mas não totalmente. Foi aposentado por invalidez, mas nunca agiu como um inválido. Sempre gostava de ser útil em alguma coisa, embora fossem notórias as restrições. Os anos foram passando. Crescemos, casamos e lhes demos netos. 

A saúde de papai foi se agravando com o passar do tempo. A irreversível poliomielite foi acompanhada por outras dificuldades como diabetes, hipertensão, colesterol, entre outras. Por razões mais que óbvias passou a não andar como andava, recebendo todo o cuidado de nossa mãe na cama. Comida, remédios, higiene com trocas de fraldas foram apenas parte de todo cuidado que nossa guerreira genitora dedicou a seu marido apaixonado. 


Em setembro de 2012 nosso pai nos deixou. No dia de seu sepultamento minha mãe tomou a palavra para agradecer aos presentes. Suas últimas afirmações naquele dia foram: 'Há 38 anos fiz um voto com este homem: ser fiel a ele até que a morte nos separasse. Hoje cumpro os meus votos'. Já fiz várias cerimônias de casamento. Já preguei vários sermões para os casais. Já ouvi dezenas de votos, mas nunca presenciei algo tão forte sobre a perseverança do amor. Percebi em um funeral a encarnação das palavras 'na saúde ou na doença, até que a morte nos separe'. 

Não relatei essa história para te deixar triste. Pelo contrário, o fiz para alegrar seu coração, pois isso me alegra. Não perdi meu pai. Só perdemos o que não sabemos onde está. Sei que ele está no descanso com Jesus. Trouxe essa história nesse artigo para que sirva de ânimo e resiliência para seu casamento. É trágico ver alguns casais se separando por que o cônjuge ganhou uns quilinhos extras, ou então por que entrou em um processo difícil de saúde. Casamento não é feito por duas pessoas descartáveis. O corpo pode sofrer com as enfermidades, mas o amor é renovável. Não deixamos de amar por que ficamos enfermos. Porém, há muitos de corpo perfeito que ficaram enfermos de alma por terem deixado de amar. 

O sábio Salomão escreveu em Cantares 8.7: 'As muitas águas não podem apagar o amor, nem os rios afogá-lo. Se alguém oferecesse todos os bens de sua casa pelo amor, seria totalmente desprezado'. 

Corredores não deixam de amar quando se tornam muletantes ou cadeirantes. Olhos embaçados pela catarata ou nublados pelo glaucoma não perdem a visão do amor. O amor é mais forte do que qualquer enfermidade. Se não for assim, então não é amor. 

Pense nisso. Que Deus te abençoe".

(Pr. Áquila Cabral)

* * *

Tem alguém aí que já tá doida pra ler a terceira parte "Na Alegria ou na Tristeza"? Eu tô!!! Fiquem ligadinhas que na semana que vem trago novidades dessa série!


Marido é muito mimado por mim quando fica dodoizinho! Eu sempre peço pra Deus, meu parceirão, cuidar da saúde dele também! ♥