quarta-feira, 23 de abril de 2014

PROBLEMAS SÃO INEVITÁVEIS, SOFRIMENTO É OPÇÃO


"A realidade da vida olha para a existência com a pressuposição de que somos responsáveis por nosso próprio estado mental". 

As nossas atitudes tem a ver com a maneira que escolhemos enxergar a vida. Com a maneira que escolhemos pensar nas coisas. Precisamos mudar o foco. Problemas sempre, sempre, vão existir. É inevitável. Mas, e aí? Vamos sentar e chorar ou dar a volta por cima? Meus problemas não podem ter o poder de me colocar pra baixo e acabar com toda a minha vida. Eu não posso dar tanto ibope pra coisas que não me fazem bem, sabe por quê? Pensamento negativo gera pensamento negativo. Quando nos concentramos no tamanho do nosso problema, ele tende a ficar maior ainda. E se nos concentrarmos no lado bom "da coisa", logo conseguiremos enxergar outros pontos positivos. Sempre existe uma luz no fim do túnel, mesmo que seja uma luzinha fraquinha. Já percebeu que quando ficamos quietinhos no escuro, em pouco tempo conseguimos enxergar algumas coisas, mesmo sem nenhuma luz? Então, é por aí o pensamento. É só se concentrar e querer enxergar, que tudo vai clareando.

Uma mulher disse assim:

"Meu marido não teve emprego fixo durante três anos. A parte boa disso era que não tínhamos dinheiro para pagar pagar tv a cabo. Terminávamos conversando muito mais quando estávamos em casa. Aqueles três anos foram duros, mas aprendemos muito. Nossa filosofia tem sido 'vamos ver quantas coisas podemos fazer sem tudo aquilo que as pessoas acham que precisam ter'. É impressionante perceber o quanto podemos fazer sem nada. Tem sido um desafio, mas estamos extraindo o máximo da situação".

Uma outra mulher estava em ponto de exaustão mental e física. Seu marido também estava desempregado havia dez meses. Há dez meses ela roía as unhas. Ela tinha certeza que perderiam tudo o que tinham, se lamentava o tempo todo por não terem dinheiro pra pagar nem a tv a cabo e só falava do quanto era difícil ter só um carro para os dois. Ela vivia absolutamente desesperada. 

A diferença entre uma e outra era basicamente a forma como lidavam com o mesmo problema. Elas tinham atitudes diferentes diante da mesma dificuldade. Essa diferença teve um impacto profundo sobre o bem-estar físico e emocional delas e, consequentemente, sobre o casamento. 

Esse desafio - porque é um desafio mesmo! - de manter uma atitude mental positiva não é nenhuma novidade. Na Bíblia tem um conselho valioso pra gente nessa área:


"Não se preocupem com nada, mas em todas as orações peçam a Deus o que vocês precisam e orem sempre com o coração agradecido. E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Jesus. Por último, encham a mente de vocês com tudo o que é bom e merece elogios, isto é, tudo o que é verdadeiro, digno, correto, puro, agradável e decente". (Filipenses 4:6-8)

A atitude molda tudo o que dizemos e fazemos. Se tivermos uma atitude pessimista, vamos nos expressar com palavras e comportamentos negativos. E aí, em vez de ser parte da solução, vamos ser parte do problema. Às vezes não conseguimos controlar o que tá acontecendo. Pode ser uma doença, um marido drogado, alcoólatra, algum trauma de infância, falta de dinheiro, traição, ou qualquer outro problema. Mas, podemos controlar a nossa atitude em relação a esses problemas. Essa atitude pode mudar tudo!

As duas mulheres com seus maridos desempregados, ilustram muito bem o que quero dizer. A primeira, com sua atitude positiva, fez várias coisas no decorrer desses três anos pra mudar o clima no seu casamento e até encorajar o marido com a aceitação e forma madura de encarar a realidade. Ela dizia palavras de afirmação quando ele ficava desanimado ao procurar um emprego e voltar sem nada. Ela afirmava que na hora certa as coisas iriam se ajeitar, e enquanto isso, com os trabalhinhos que iam fazendo, eles iriam se virando. Até a juntar latinhas pra vender ela se dispôs. Em três meses eles conseguiram aumentar um pouquinho a renda e até um cineminha no final de semana dava pra pegar. A atitude positiva dela a levou a ações positivas e criativas.

A segunda, em contrapartida, só criticava o marido durante os dez meses. Quando ele chegava em casa sem ter conseguido nada, ela já soltava um "o que você fez de errado dessa vez?". Ela contava pra todo mundo o quanto estava desapontada com o marido. Ele ouvia ela reclamando dele ao telefone com terceiros. Ela passava a maior parte do tempo dormindo ou vendo programas de fofoca na tv aberta, ou ficava a tarde inteira na casa da vizinha. Seu casamento estava em apuros. Suas atitudes negativas, levaram a ações negativas, que terminaram aumentando os problemas do casamento.

O pensamento negativo afeta suas ações brutalmente. Essas ações, por sua vez, influenciam todos que estão à sua volta e tem o poder de reerguer ou derrubar de vez o seu casamento.

Talvez o problema no seu relacionamento não tenha nada a ver com o problema dessas duas mulheres, mas com certeza, se você optar por uma atitude positiva diante dos fatos, poderá mudar totalmente o final da sua história. 

Sejamos pontos de luz em nossos casamentos!

Texto inspirado no livro
Castelo de Cartas

Marido e eu já passamos por muitas provações beeeeem maiores do que ficar sem tv a cabo! Foram períodos difíceis, mas de muito crescimento e aproximação!



     

segunda-feira, 14 de abril de 2014

TORTA DE SORVETE

Vamos fazer uma sobremesa bem maravilhosa pro marido nesse feriadão??? Ela não é nem um pouco light, mas é uma delícia! No feriado pode sair um pouquinho da linha, né!? =) Aliás, nesses dias de folga eu não quero saber de regras. Nada de horário pra dormir ou acordar, nada de dieta pra seguir, nada de compromissos, nada de nada. Só quero meu amor e essa tortinha!



Primeiro creme:
1 lata de leite condensado
2 medidas da lata de leite
4 gemas passadas na peneira
Leve tudo em banho maria, mexendo até virar um mingau.

Segundo creme
Bata na batedeira 4 claras e 4 colheres de sopa de açúcar fino. Depois acrescente 1 lata de leite.

Na forma, derreter uma xícara de chá de açúcar, 4 colheres de sopa de chocolate em pó e 4 colheres de leite.

Misture os dois cremes e despeje sobre essa caldinha na forma, cubra com filme e deixe gelar de um dia pro outro. Retire do freezer uns 5 minutinhos antes de desenformar e servir.

Meu marido é muito apaixonado por essa torta. Acho que o seu marido também vai amar receber um mimo como esse!

Marido tá super focado na academia, mas só de vez em quando pode! =)

                                                                                                              *PUBLICIDADE
Use o cupom COISADECASADA e ganhe 20% de desconto nas Livrarias Família Cristã.

sexta-feira, 4 de abril de 2014

SWEET LORRAINE

Eu não tenho medo da morte. Eu espero que Deus me permita viver por muitos anos, pois eu tenho muito amor à vida! Mas medo de morrer eu não tenho. Eu tenho medo de deixar meu amor sozinho. Tenho medo de deixar triste, com a minha ausência, as pessoas que eu amo. Disso eu tenho medo. Falar de morte é muito ruim... é difícil encarar a morte. Mas quem morre, morre! Vai dessa, pra melhor! Complicado é pra quem fica vivo. Hoje eu tenho só 5 anos e 2 meses de casada... não gosto nem de pensar nisso, mas se eu perdesse o meu marido, tenho certeza que teria que reaprender a viver a minha vida sem ele. Imagine, então, como deve ser perder o companheiro ou a companheira depois de 73 anos de união. 

Esse é o caso do seu Fred que, com 96 anos de idade, perdeu sua linda Lorraine. Mas ele encontrou uma forma muito linda de encarar essa perda, compondo uma música muito fofa pra sua amada. Ele participou de uma competição musical, sem nenhuma pretensão, pois não sabia cantar nem tocar nada, mas foi muito honrado pois o principal ele sabia: amar!

Assista esse vídeo, e se emocione com essa história - e música - linda!


Amores de verdade existem SIM!   

Marido já aprendeu a cantar essa canção! 


terça-feira, 25 de março de 2014

RENDA EXTRA - SAPATILHAS

Quem me acompanha na fanpage, viu que essa semana eu ganhei um montão de sapatilhas. Quase fiquei doida de tanta alegria! Esse amor por sapatos, com certeza, é o amor da maioria das mulheres. Não conheço nenhuma mulher que não ame desfilar por aí com um modelito novo nos pés. Você conhece? Exatamente por isso que é tão bom vender produtos femininos. Mulher compra tudo! 

#regram @karolyneferro

A Nicolly Sapatilhas, além de ter me enviado dez pares, está oferecendo para as leitoras do blog uma oportunidade de renda extra. Eu já venho falando sobre isso por aqui há alguns dias, e essa proposta veio bem a calhar. 

A Nicolly Sapatilhas vende em atacado para revendedoras. Elas têm um preço super acessível e não tem necessidade de CNPJ. A única exigência, é que a revendedora compre no mínimo dez pares. A média do valor de cada par é R$32,00. Eu compraria tranquilamente essas sapatilhas pagando pelo menos o dobro. Então acho que é um bom negócio investir num produto pra ter, no mínimo, 100% de lucro. Sem falar que o investimento é pequeno. 

Pra vocês terem ideia de como é fácil vender, um funcionário da minha escola me viu recebendo o pacotão com as dez sapatilhas. Eu experimentei uma de cada vez e fiquei namorando meus presentes. Ele mais do que depressa falou que queria comprar uma pra dar de presente pra namorada. Eu perguntei quanto que ele me pagaria, e ele ofereceu R$60,00 à vista. Bem, não vendi, mas a oferta foi boa!    

Hoje eu to usando uma delas, com estampa da moda, bem delicadinha, leve, confortabilíssima!


Os modelos são lindos, e o melhor, a loja está sempre com novidades. Vou mostrar alguns:



Corujinha *-*


Tem vários modelinhos "tal-mãe-tal-filha". Quero a Melissaaaa!

Curtam a fanpage da Nicolly Sapatilhas (aqui) e fique sempre por dentro das novidades!


Marido tá reivindicando espaço pra guardar os sapatos dele! Meus sapatos estão ocupando a casa inteira! :P


Publicidade